Ricardo Gondim é teólogo brasileiro, presidente nacional da Assembléia de Deus Betesda, presidente do Instituto Cristão de Estudos Contemporâneos, conferencista. Tem programa de rádio e é colunista de vários veículos de comunicação. É autor premiado de vários livros e artigos polêmicos.

Nasceu católico de uma família “que tinha padres e freiras na árvore genealogica” e, contrariando as perspectivas familiares, ingressou naIgreja Presbiteriana, onde participou efetivamente e liderou a “União de Mocidade” onde “acreditava ser um dos eleitos” da “presciência” deDeus, crendo fielmente em todos seus dogmas calvinistas, até que teria recebido o batismo com o Espírito Santo e, segundo suas palavras, fora “intimado a comparecer a uma versão moderna da Inquisição”, onde lhe pediram: “Peça para sair, evite o trauma de um julgamento sumário. Poupe-nos de nos transformarmos em algozes”.[1]

Por influência de seu “melhor amigo, presidente da Aliança Bíblica Universitária”, ingressou na Assembléia de Deus, onde percebera que a mesma “estava engessada”“sobrava legalismo”, passando a denunciar, segundo o próprio, a “gerontocracia assembleiana”. Afirma que rompeu com a “maior denominação pentecostal do Brasil” e passou a caminhar com a Betesda.[1][2]

Seus ensinos rompiam com obrigações rigorosas dos Usos e Costumes. Ao escrever o livro “É Proibido: o que a Bíblia Permite e a Igreja Proíbe” em 1998, causou o costumeiro alvoroço em torno de suas polêmicas publicações. O livro hoje não é tão polêmico, dado as aberturas provocadas pelo segmento protestante, por intermédio da Igreja Universal, mas Ricardo Gondim sempre está sob os olhos do público religioso com inovadoras publicações em vanguarda teológica, tendo por último abraçado ensinos do Teísmo Aberto, uma polêmica teologia entre os protestantes.

Por conta disso, esteve envolto em troca de farpas com defensores da teologia tradicional. Não aderiu abertamente o Teísmo Aberto nas nomeou sua pretensão de Teologia Relacional, que nada mais seria que uma variante do Teísmo Aberto. Chegou a afirmar que rompia com o protestantismo, mas depois retificou sua fala ao publicar que seu rompimento era com os religiosos e sua “ortodoxolatria”.

Sempre negou ser teísta aberto, mas nunca negou sua atração por conceitos ensinados por Clark Pinnock. Publicou alguns artigos falando da impossibilidade de Deus conhecer o que não pode ser conhecido, e tornou-se, no Brasil, um dos maiores representante dessa teologia, com nuances antropomorfistas, juntamente com Ed René Kivitz.

Por conta dessa última polêmica,[3] conquistou vários manifestos calvinistas contra sua teologia, o que resultou numa instabilidade em sua congregação religiosa e houve uma reação dos defensores da teologia tradicional de sua igreja. Ricardo Gondim, então abriu o patrimônio da Igreja Betesda onde ofereceu a liberdade dos seus pastores saírem com suas igrejas, somente não abrindo mão do nome da igreja, o que considerava seu maior patrimônio. Por volta de quarenta pastores saíram da Igreja Assembléia de Deus Betesda, levando o patrimônio que geriam e formaram outras congregações religiosas.

Seus livros e escritos são polêmicos; em alguns casos, denunciam uma suposta mentira e manipulação pastoral. É um dos oponentes dateologia da prosperidade, da maldição hereditária, própria do neopentecostalismo, além de crítico da teologia calvinista, uma teologia nos moldes tradicional.

Entre os calvinistas encontra uma forte manifestação de denúncia e já foi apontado como detentor de doutrina herética.

É um preletor carismático e participa de eventos que não são muito comuns aos pastores pentecostais, tendo anunciado participação, pela décima vez, numa maratona [4]

Fonte: http://pt.wikipedia.org

Há dias que eu luto para não ficar pensando em que os “líderes evangélicos” estão fazendo, não com essa neura de “Ah, não posso julgar meus irmãos”, mas para não me contaminar com a incredulidade de não existir mais homens e mulheres de Deus.
Quando começo da uma navegada na net sem a intenção de procurar algo a respeito, vejo um evangelho egoísta assim como esse ditado popular, procurando seus próprios interesses, diferente do que lemos a respeito do amor em 1 Coríntios 13 verso 5 “Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;” .
Buscando o aqui e agora, sem pensar em nossa maior esperança que é a vida eterna, sem importar com o próximo e quando olho para minha vida sinto que estou sendo atingido por essa onda de egoísmo e me importando mais com as coisas do que com as pessoas.
Mas o que a bíblia nos ensina Romanos 14 versículo 17 “Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo”, com isso é que nós devemos nos importar com reino de Deus, ser um súdito a altura do seu rei, fiel, participante e amando sempre o próximo vivendo o verdadeiro evangelho.

Estou lendo, nesse tempo, “SABER CUIDAR: Ética do humano-compaixão pela Terra”, de Leonardo Boff, livro esplendoroso e apaixonante. Neste, entre muitos conteúdos, o autor faz uma análise do que seja o homem por várias perspectivas, que embora simples se constituem profundas e que julgo pertinente compartilhar com vocês. Ei-la:

“Podemos responder de muitas e diferentes maneiras à pergunta: o que é o ser humano? A questão e sua correspondente resposta encontram-se subjacentes nas formações sociais, nas diferentes visões de mundo, nas diversas filosofias, ciências e projetos elaborados pelo ingênio humano.
A resposta latente e inconsciente, porém, se torna patente e consciente, quando formulamos a seguinte questão: que imagem de ser humano está sepultada numa cultura como a nossa que privilegia acima de tudo a racionalidade científico-técnica? A resposta natural será: o ser humano é um animal racional. Que imagem se oculta no modo de produção capitalista e na economia exclusivamente de mercado? A resposta óbvia será: o ser humano é essencialmente um ser de necessidades (um animal faminto) que devem ser satisfeitas e, por isso, um ser de consumo. Que imagem de ser humano subjaz ao ideal democrático? A resposta conseqüente será: o ser humano é um ser de participação, um ator social, um sujeito histórico pessoal e coletivo de construção de relações sociais o mais igualitárias, justas, livres e fraternas possíveis dentro de determinadas condições histórico-sociais. Que idéia de ser humano está pressuposta na luta pelos direitos humanos? A resposta clara será: O ser humano vem dotado de sacralidade porque é sujeito de direitos e de deveres inalienáveis e se mostra como um projeto infinito. Que compreensão de ser humano está subentendida no projeto científico-técnico de denominação da natureza? A resposta mais provável será: o ser humano se entende (ilusoriamente) como o ápice do processo de evolução, o centro de todos os seres (antropocentrismo) e considera que as demais coisas, especialmente a natureza, só tem sentido quando ordenadas ao ser humano; ele pode dispor delas ao seu bel-prazer. Quando o místico São João da Cruz diz que o ser humano é chamado a ser Deus por participação, que imagem pressupõe do ser humano? A resposta ousada será: o ser humano tem a capacidade de dialogar com o mistério do mundo, perguntar por um último sentido e entrar em comunhão com Ele e ser um com Ele. Por fim, que imagem de ser humano projetamos quando o descobrimos como um ser-no-mundo-com-outros sempre se relacionando, construindo seu habitat, ocupando-se com as coisas, preocupando-se com as pessoas, dedicando-se àquilo que lhe representa importância e valor e dispondo-se a sofrer e a alegrar-se com quem se sente unido e ama? A resposta mais adequada será: O ser humano é um ser de cuidado, mais ainda, sua essência se encontra no cuidado. Colocar cuidado em tudo o que projeta e faz, eis a característica do ser humano”

Essa análise de Boff sobre o ser humano, ao meu ver, nos permite compreender, um pouco melhor esse tempo inumano que vivemos hoje. O ser humano se transformou num ser compartimentado, deixou de ser um inteiro, um com o todo, hoje ele é segundo a ótica que é visto, o que quer dizer que ele pode ser muitos à medida do que lhe é conveniente. Esse homem é egocêntrico e o egocêntrico nunca vê o próximo como próximo. Se não tem um próximo com o qual se preocupar/compartilhar, o que sobra é “EU”, se assim o é, exclui-se a possibilidade do CUIDADO, que é o que nos faz humano como humano tem que ser.
Foi o Homem-Deus, Jesus, quem nos disse: “…Ama o teu próximo como a ti mesmo” (Mt 19:19), pois me parece, que só assim o ser humano continuará humano até o fim!
Eis o nosso grande desafio; sermos humanos (nesse tempo de veloz desumanização) como o Deus-Homem o foi: Um Ser Humano de cuidados e afetos. Que Ele nos ajude. Paz.

Pr. Neil Barreto

Fonte: http://eduardopais.wordpress.com/palavra-pr-neil-barreto/

Postado Secretaria  domingo, 14 junho , 2009

Hoje na denominação batista, comemora-se o Dia do Pastor e, aproveitando a oportunidade, gostaria de compartilhar com vocês um texto que recebi a algum tempo e que me fez refletir sobre a minha real identidade. O texto tem o título encimado: Sobre Pastores e Lobos. Por mais triste que seja, hoje, pastores e lobos têm muito em comum e uma dessas coisas é que ambos gostam muito de ovelhas. Meu intuito ao compartilhar esse texto é dar à vocês o direito de refletirem sobre aquele que está sobre vocês como pastor, até porque as conseqüências advindas da relação com um pastor ou com um lobo são responsabilidade de cada ovelha. Eis o texto:

Pastores buscam o bem das ovelhas; lobos buscam os bens das ovelhas.
Pastores gostam de convívio; lobos gostam de reuniões.
Pastores vivem a sombra da cruz; lobos vivem a sombra dos holofotes.
Pastores choram por suas ovelhas; lobos fazem suas ovelhas chorarem.
Pastores têm autoridade espiritual; lobos são autoritários e dominadores.
Pastores têm esposas; lobos têm coadjuvantes.
Pastores têm fraquezas; lobos são poderosos.
Pastores olham nos olhos; lobos contam as cabeças.
Pastores apaziguam as ovelhas; lobos intrigam as ovelhas.
Pastores têm senso de humor; lobos levam a sério.
Pastores são ensináveis; lobos são donos da verdade.
Pastores têm amigos; lobos têm admiradores.
Pastores se extasiam com o mistério; lobos aplicam técnicas religiosas.
Pastores vivem o que pregam; lobos pregam o que não vivem.
Pastores vivem de salários; lobos enriquecem.
Pastores ensinam com a vida; lobos pretendem ensinar com discursos.
Pastores sabem orar em secreto; lobos só oram em público.
Pastores vivem para suas ovelhas; lobos se abastecem de suas ovelhas.
Pastores vão para o púlpito; lobos vão para o palco.
Pastores são apascentadores; lobos são marqueteiros.
Pastores são servos humildes; lobos são chefes orgulhosos.
Pastores se interessam pelo crescimento das ovelhas; lobos pelo das ofertas.
Pastores apontam para Cristo; lobos apontam para si mesmos.
Pastores são usados por Deus; lobos usam as ovelhas em nome de Deus.
Pastores falam da vida cotidiana; lobos discutem o sexo dos anjos.
Pastores se deixam conhecer; lobos se distanciam e ninguém chega perto.
Pastores sujam os pés na estrada; lobos vivem em palácios e templos.
Pastores alimentam as ovelhas; lobos se alimentam das ovelhas.
Pastores buscam a discrição; lobos se autopromovem.
Pastores conhecem, vivem e pregam a graça; lobos vivem sem lei e pregam a lei.
Pastores usam as Escrituras como texto; lobos usam as Escrituras como pretexto.
Pastores têm compromisso como Reino; lobos têm compromissos pessoais.
Pastores vivem uma fé encarnada; lobos vivem uma fé espiritualizada.
Pastores ajudam as ovelhas a se tornarem adultas; lobos perpetuam a infantilidade.
Pastores confessam os seus pecados; lobos expõem o pecado dos outros.
Pastores são simples e comuns; lobos são vaidosos e especiais.
Pastores têm dons e talentos; lobos têm cargos e títulos.
Pastores são transparentes; lobos têm agendas secretas.
Pastores dirigem igreja comunidade; lobos dirigem igreja empresa.
Pastores pastoreiam ovelhas; lobos seduzem ovelhas.
Pastores trabalham em equipes; lobos são prima-donas.
Pastores constroem vínculos de interdependência; lobos aprisionam a co-dependência.

À luz do exposto, a pergunta que cada um de vocês deve se fazer é: “Meu pastor é um pastor mesmo ou um lobo?”

Se lobo, agradeça à Deus por descobrir isso antes de ser devorado por ele e afaste-se de seu rebanho, pois tal rebanho não está sendo conduzido à Vida e sim à morte, pois para um lobo, a ovelha está reduzida, apenas, a uma matéria de consumo (alimento).

Se pastor, louve a Deus por sua vida e interceda muito mais por ele, pois um de seus maiores desafios é não se transformar em lobo ao longo do caminho (desafio de manter a integridade).

Se pastor, ouça o que ele diz na Palavra e viva a Palavra que ouve, faça valer a pena o sacrifício de Seu Senhor na cruz do calvário.

Se pastor, porque ele é pastor, seja ovelha, simplesmente ovelha, pois se o pastor é pastor e a ovelha é ovelha, o resultado será, sempre, uma relação saudável, produtiva e duradoura para a glória de Deus. Boa reflexão!
Que o Sumo Pastor nos abençoe! Paz!

Pr. Neil Barreto

Fonte: http://eduardopais.wordpress.com/palavra-pr-neil-barreto/

Pr. Neil Barreto é pastor presidente da Igreja Batista Betânia, com sede  em Sulacap na cidade do Rio de Janeiro.
Casado com a Pastora Andréa Leal Barreto, tem duas filhas: Thamara e Thais. é graduado em Teologia e Filosofia, pós-graduado em Terapia humanista-existêncial, pensamento convergente entre filosofia e psicanálise e sexualidade humana, psicanalista clínico, diplomado em altos estudos de política e estratégia pela ESG (Escola Superior de Guerra). Conhecido por suas mensagens práticas voltadas ao crescimento pessoal e espiritual, seus sermões tem como objetivos tornar crentes cada vez mais humanos.

http://www.ibbetania.com/

fonte: mensagens extraídas no site oficial da igreja


Após muito tempo, infelizmente, percebi que em muitos lugares quando o indivíduo inicia sua vida Cristã ele troca o fardo do pecado pelo fardo da religião, da religiosidade, do costume entre outros. O que parece é que ele precisa cumprir uma série de exigências para alcançar o amor de Deus. Diante disso, aprendi algumas coisas:

O amor de Deus não se conquista. Ele simplesmente ama a todos de forma incondicional, independente da nossa retribuição. Deus é amor, Ele não tem, Ele É. Isso tanto é verdade, que a vida eterna é um presente dado por Deus a todos os homens, mesmo Ele sabendo que o homem nunca seria merecedor [Rm 6.23], pois o homem é um ser pecador por sua própria natureza e ele jamais poderia conquistar ou comprar por seus atos ou intenções esse direito [Rm 3.23].

Apenas alguém perfeito e sem pecado poderia conquistar, por isso, Jesus Cristo, a quem nenhum homem encontrou erro, foi enviado por Deus a nascer de uma virgem. E assim, sem contaminação carnal, Ele, Jesus Cristo, conquistou em morte de Cruz, à todos os homens o direito de vida eterna.

Deus é amor e justiça; como um amoroso Deus ele não tem prazer em nos punir, porém pela sua justiça ele tem que punir nossos pecados. [Êxodo 34.7b]. Porque quando pensamos em justiça logo nos vem a mente a justiça humana,  que é falha, tendenciosa e preconceituosa [Isaias 64.6]. Deus é perfeito em seus juízos tanto para o punir ou abençoar. Fé não é mero conhecimento intelectual ou somente temporal. A verdadeira fé salvadora é confiar somente em Jesus Cristo para a vida eterna. [Atos 16.31] É confiar que apenas Ele é suficiente para salvar o homem por toda a eternidade.

Quando me deu vontade de escrever sobre vazio, estava de carona numa moto com meu amigo Elon Farias, e certa música não saia de nossas cabeças que se chama “você pode ter” de autoria do poeta  Sergio Pimenta e ficou famosa na voz de João Alexandre, aqui vai à letra:

“Você pode ter a casa repleta de amigos
Paredes e pisos cobertos de bens
Ter um carro do último tipo
E andar conforme der na cabeça

Ou pode até ser um cara que vive apertado
Até mesmo dentro de um lotação
Curtindo assim mesmo num fim de semana
A andar conforme der na cabeça

Mas sempre será como folha no vento
Esperando o momento de cair
Você pode ter tudo aquilo que sonhar
Mas nunca terá a paz que existe lá dentro
Que não se encontra pra poder comprar
Porque essa paz só tem a pessoa
Que se encontra com Cristo”

Eu não precisava escrever mais nada essa poesia em forma de música completa tudo que eu queria escrever ou até sonhei em dizer.

Você poder ter tudo e não ter nada e também você pode ter nada e continuar não tendo nada, o que é mais importante não é ter ou deixar de ter para ter essa paz “paz que existe lá dentro”.

Pense nesses versos e principalmente no final “Que não se encontra pra poder comprar Porque essa paz só tem a pessoa Que se encontra com Cristo”, não importa o tamanho desse vazio pode parecer que tem o tamanho do infinito, mas realmente tem porque só o infinito preenche o infinito.

Viva em estado de METANÓIA.


QUEM O CRIOU?
Lúcifer : Fui criado pelo próprio Deus, bem antes da existência do homem. [Ezequiel 28:15]

COMO VOCÊ ERA QUANDO FOI CRIADO?

Lúcifer : Vim à existência já na forma adulta e, como Adão, não tive infância. Eu era um símbolo de perfeição, cheio de sabedoria e formosura e minhas vestes foram preparadas com pedras preciosas. [Ezequiel 28:12,13]

ONDE VOCÊ MORAVA?

Lúcifer : No Jardim do Éden e caminhava no brilho das pedras preciosas do monte Santo de Deus. [Ezequiel 28:13]

QUAL ERA SUA FUNÇÃO NO REINO DE DEUS?

Lúcifer : Como querubim da guarda, ungido e estabelecido por Deus, minha função era guardar a Glória de Deus e conduzir os louvores dos anjos. Um terço deles estava sob o meu comando. [Ezequiel 28:14; Apocalipse 12:4]

ALGUMA COISA FALTAVA A VOCÊ?

Lúcifer : (reflexivo, diminuiu o tom de voz) Não, nada. [Ezequiel 28:13]

O QUE ACONTECEU QUE O AFASTOU DA FUNÇÃO DE MAIOR HONRA QUE UM SER VIVO PODERIA TER?
Lúcifer : Isso não aconteceu de repente. Um dia eu me vi nas pedras (como espelho) e percebi que sobrepujava os outros anjos (talvez não a Miguel ou Gabriel) em beleza, força e inteligência. Comecei então a pensar como seria ser adorado como deus e passei a desejar isto no meu coração. Do desejo passei para o planejamento, estudando como firmar o meu trono acima das estrelas de Deus e ser semelhante a Ele. Num determinado dia tentei realizar meu desejo, mas acabei expulso do Santo Monte de Deus. [Isaías 14:13,14; Ezequiel 28: 15-17]

O QUE DETONOU FINALMENTE A SUA REBELIÃO?
Lúcifer : Quando percebi que Deus estava para criar alguém semelhante a Ele e, por conseqüência, superior a mim, não consegui aceitar o fato. Manifestei então os verdadeiros propósitos do meu coração. [Isaías 14:12-14]

O QUE ACONTECEU COM OS ANJOS QUE ESTAVAM SOB O SEU COMANDO?
Lúcifer : Eles me seguiram e também foram expulsos. Formamos juntos o império das trevas. [Apocalipse 12:3,4]

COMO VOCÊ ENCARA O HOMEM?
Lúcifer : (com raiva) Tenho ódio da raça humana e faço tudo para destruí-la, pois eu a invejo. Eu é que deveria ser semelhante a Deus. [1Pedro 5:8]

QUAIS SÃO SUAS ESTRATÉGIAS PARA DESTRUIR O HOMEM?
Lúcifer : Meu objetivo maior é afastá-los de Deus. Eu estimulo a praticar o mal e confundo suas idéias com um mar de filosofias, pensamentos e religiões cheias de mentiras, misturadas com algumas verdades. Envio meus mensageiros travestidos, para confundir aqueles que querem buscar a Deus. Torno a mentira parecida com a verdadeinduzindo o homem ao engano e a ficar longe de Deus, achando que está perto. E tem mais: uso o nome de Jesus para que seus ensinamentos sejam distorcidos, tento estimular o orgulho, a soberba, o egoísmo, a inimizade e o ódio dos homens. Trabalho arduamente com minha corja para enfraquecer as igrejas, lançando divisões, desânimo, críticas aos líderes, adultério, mágoas, friezas espirituais, avareza e falta de compromisso (ri às escaras). Tento destruir a vida dos pastores, principalmente com o sexo, ingratidão, falta de tempo para Deus e orgulho. [1Pedro 5:8; Tiago 4:7; Gálatas 5:19-21; 1 corintios 3:3; 2 Pedro 2:1; 2 Timóteo 3:1-8; Apocalipse 12:9]

E SOBRE O FUTURO?
Lúcifer : (com o semblante de ódio) Eu sei que não posso vencer a Deus e me resta pouco tempo para ir ao lago de fogo, minha prisão eterna. Eu e meus anjos trabalharemos com afinco para levarmos o maior número possível de pessoas conosco. [Ezequiel 28:19; Judas 6; Apocalipse 20:10,15]

MEDITE NESSA MENSAGEM. VEJAM QUE FOI ELABORADA COM BASE NOS VERSÍCULOS BÍBLICOS, POR ISSO É UMA ILUSTRAÇÃO DA VERDADE, PALAVRA DE DEUS.

“COMO DIZ O ESPÍRITO SANTO: HOJE, SE OUVIRDES A SUA VOZ, NÃO ENDUREÇAIS OS VOSSOS CORAÇÕES.” HEBREUS 3:7,8 – NÃO DÊ OUVIDOS AO DIABO

“Ninguém tem maior amor do que este: de dar a Sua vida em favor dos Seus amigos.” João 15:13 DÊ ATENÇÃO ÀQUELE QUE DEU A VIDA POR VOCÊ: JESUS.

SE VOCÊ É CRISTÃO, OU SEJA AVERSO AO DIABO, MOSTRE AOS OUTROS QUAIS AS INTENÇÕES DO MAL.

Fonte: Desconhecido (recebido por email)

Mark Driscoll , considerado um dos 50 pastores mais influentes da América, nasceu em 11 de outubro de 1970 e concluiu o ensino médio em Highline, Seattle. Criado numa família católica, Driscoll tornou-se cristão em 1989, quando estava no primeiro ano de Comunicação Social na Universidade Estadual de Washington. Ao concluir o bacharelado em 1992, casou-se com Grace, uma colega de escola com quem namorava desde 1988.

Em outubro de 1996, eles fundaram a Igreja Mars Hill em Seattle, a partir de um pequeno grupo de estudo bíblico que se reunia em sua sala de estar e que cresceu vertiginosamente desde então, até chegar a mais de oito mil membros atualmente. A igreja reúne-se em sete diferentes localidades na área da baía de Puget Sound, com vinte cultos semanais transmitidos via satélite da sede no bairro de Ballard. Em 2008, Mars Hill foi apontada pela revista Outreach(Alcance) como a segunda igreja mais inovadora da América.

Pastor Mark é co-fundador e presidente da Rede de Implantação de Igrejas Atos 29, que atua nacional e internacionalmente. Nos EUA, Mars Hill foi considerada a segunda igreja mais prolífera em implantação de igrejas, no ranque daOutreach.

Pastor Mark fundou ainda a Resurgence, uma organização que divulga e organiza conferências e oferece treinamento teológico para pastores, plantadores de igreja e outros líderes cristãos. O website cooperativo, theresurgence.com, passou a ser uma das principais fontes de notícias e estudos teológicos entre igrejas missionais, emergentes e comunidades reformadas.

A liderança do Pastor Mark tem sido reconhecida por várias fontes. A revista Seattle citou o Pastor Mark como uma das vinte e cinco pessoas mais influentes de Seattle que, ironicamente, é uma das cidades com menor taxa de frequência à igreja da América. As revistas The Church Report(Relatório Eclesiástico) e Christianity Today (Cristianismo Hoje) reconheceram o Pastor Mark como um dos pastores mais influentes da atualidade, nos EUA.
A cobertura da mídia sobre o Pastor Mark tem sido igualmente ampla, através de canais como a Rádio Nacional, o programa The Bible Answer Man ( A Bíblia responde), a revista Mother Jones, a Associated Press, os jornais USA Today e New York Times, a revista de música Blender, as revistas Preaching Today e Leadership e a rede ABC de televisão.

Com sermões, que podem ser acessados e baixados gratuitamente na Internet, o Pastor Mark alcança uma audiência global, com milhões de downloads por ano, inclusive no iTunes onde normalmente está entre os top 10 podcasts na categoria Religião e Espiritualidade. Além disso, o Pastor Mark treina outros líderes através de palestras país afora e ao redor do mundo. Em 2008, o Pastor Mark visitou o Reino Unido e a Austrália, em duas ocasiões distintas, falando para pastores e líderes de igrejas sobre a centralidade do evangelho, a necessidade de se compreender a cultura e as mudanças no perfil contemporâneo da igreja, dirigindo-se a auditórios com até dez mil pessoas por evento.

Pastor Mark é Mestre em Teologia Exegética pelo Seminário Western de Portland no Oregon e atualmente se prepara para o doutorado em Estudo Bíblico. Pastor Mark e sua querida Grace desfrutam do prazer de criar três filhos e duas filhas, jogando beisebol com os meninos e saindo com as meninas para “encontros” com o papai.

Fonte: Editora Tempo de ColheiraReformissão e http://www.markdriscoll.com.br

Metanóia é uma palavra de origem grega (μετάνοια, metanoia) e significa arrependimento, conversão (tanto espiritual, bem como intelectual), mudança de direção e mudança de mente; mudança de atitudes, temperamentos; caráter trabalhado e evoluído (segundo o nosso amigo Wikipédia).

Mas  eu quero escrever sobre mudança. No mundo em que vivemos tudo acontece de uma maneira extremamente rápida, e somos constantemente exigidos a mudar nossa forma de pensar, de agir, de ser. Mudar é muito bom porque saímos do estado de inércia que estávamos e nos modificamos conforme a necessidade que nos atinge, porém, será que essas mudanças que a sociedade nos impõe é mesmo o que você queria fazer.

Entretanto uma mudança verdadeira acontece de “dentro para fora”. Nessa busca incessante de sermos aceito pela sociedade, mudamos nossos padrões, mas no fundo realmente queremos saber quem nós somos e o que nos faz feliz.

A metanóia que estou querendo passar, não é uma mudança de que  falamos até agora, é uma mudança completa de atitude vinda de dentro para fora, através do anseio do ser humano em encontrar o seu verdadeiro criador pelo seu filho amado JESUS.

Podemos mudar até nos moldar segundo os pensamentos da sociedade, porém sempre vai faltar alguma coisa, essa coisa que falta parece que tem o tamanho do infinito, esse vazio que te incomoda é do tamanho de Jesus, só ele pode preenchê-lo, corra esse risco, dê essa chance a Jesus. Você já tentou tantas coisas, faça como Zaqueu (Lc: 19 1-9) sofra essa metanóia.

Agenda

agosto 2016
S T Q Q S S D
« jun    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Categorias

Recomendo

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.